PDCA e SDCA

PDCA e SDCA

18 de abril de 2019 Técnicas Simplificadas 0

Resumo

PDCA é uma das ferramentas de melhoria contínua mais difundidas no mundo. Trata-se de um ciclo com 4 etapas: Plan (planejar), Do (executar), Check (verificar) e Act (agir).

Contudo, junto com a glória trazida pela incessante busca pela perfeição, caminha o alto custo em pesquisa e desenvolvimento, que a sua empresa pode não estar disposta a pagar.

Nesse contexto seu primo menos conhecido tem um valor imenso, o SDCA (Standardize – ou padronizar – no lugar do ‘planejar’). Juntos eles permitem que você busque melhorias até julgar que já tem o seu problema suficientemente resolvido (PDCA) e estabeleça um novo processo padronizado para obter resultados consistentes (SDCA).

A quem se destina

A todas as empresas, uma vez que essa técnica pode ser aplicada a qualquer processo, seja ele relacionado a atendimento ao cliente, fabricação de um produto ou meramente burocrático como emissão de notas fiscais.

Perguntas respondidas

  • Como reduzir falhas no processo?
  • Como eliminar etapas redundantes?
  • Como parar de ter variações nos meus resultados?
  • Quando devo considerar que já está bom o suficiente para seguir em frente?

Ganhos esperados

  • Cultura de melhoria contínua em todos os envolvidos
  • Desenvolvimento de habilidades de solução de problemas
  • Redução na variação de resultados
  • Descoberta de benefícios colaterais ao tentar solucionar problemas
  • Padronização de processos
  • Documentação de aprendizados
  • Transferência de conhecimento para a empresa (reduzindo risco de uma pessoa importante para o processo sair e deixar a empresa em sérios apuros)

Como usar de maneira descomplicada 😉

Ciclo PDCA – Busca pela Melhoria Contínua

Escolha um problema que queira solucionar, ou um processo que queira melhorar e vamos para o PDCA

  1. Plan (planejar): defina os resultados que deseja obter o método para atingi-los. Você precisa saber onde quer chegar para saber que chegou lá.
  2. Do (executar): treine adequadamente a equipe acerca do método definido e execute as ações documentando tudo o que for feito. Se tudo correr bem, essa documentação vai se tornar o aprendizado da sua empresa e será a base do processo melhorado
  3. Check (verificar): confronte os resultados obtidos com os esperados, aqueles definidos na etapa Plan, e aponte eventuais divergências
  4. Act (agir): se os resultados ainda não são os esperados, tente entender a causa raiz do problema, por exemplo, usando o Diagrama de Ishikawa (espinha de peixe) e, em seguida, defina ações corretivas. Caso tudo tenha corrido bem, padronize a receita de sucesso com o SDCA! =-)

Ciclo SDCA – Padronização do Processo Melhorado

  1. Standardize (padronizar): documente detalhadamente todas as etapas percorridas para se obter os resultados esperados. O importante aqui é que o procedimento seja claro e replicável para todos os envolvidos
  2. Do (executar): exatamente igual ao PDCA
  3. Check (verificar): exatamente igual ao PDCA
  4. Act (agir): caso não tenha obtido os resultados esperados, inicie um novo ciclo PDCA até ter o processo melhorado para que possa ser padronizado novamente

No contexto de micro e pequenas empresas, especialmente startups, é impossível se manter na eterna busca pela perfeição porque a conta simplesmente não fecha.

Enquanto empresas maiores e melhor estruturadas dispõem de áreas de qualidade, com foco na apuração e correção de ruídos nos seus processos, as demais dependem de recursos escassos e decisões cuidadosas sobre como devem empregá-lo.

E como saber quando já está bom? Quando devo parar de buscar melhorias e padronizar o que já consegui obter de resultados? Talvez uma resposta para essas perguntas seja o conceito de MVP (Minimum Viable Product), que trata sobre aplicar o menor esforço possível para ter um produto suficiente (não mais que suficiente) para atender às necessidades imediatas do mercado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *